Pedala Manaus

A importância do capacete ao usar a bicicleta

Sou ciclista urbano. Uso a bicicleta como meio de transporte.
Saí de casa com destino ao centro da cidade - mais ou menos 14km. O percurso era tranquilo - já o faço por mais de 4 anos.
Em um certo trecho da viagem, dei sinal com a mão de que faria uma ultrapassagem e logo pego a via da esquerda. Segundos depois, perco o equilíbrio da bicicleta numa elevação (defeito) na pista e, numa fração de segundos, vou ao chão.

Após a queda, meio tonto, levanto e vejo que havia me ferido em várias regiões do corpo. Um minuto depois um bike anjo passa pelo local e, ao me ver, pede para que eu tire o capacete - eu havia batido com a cabeça e não havia notado. Fui levado ao Hospital e rapidamente recebi cuidados médicos.

Após toda a correria, voltando pra casa, o corpo já estava esfriando e os medicamentos já estava passando o efeito. Comecei a notar que o acidente poderia ter sido bem pior se eu não estivesse de capacete.

Você usa capacete? Sempre achei que o capacete era um item "chato" mas necessário. Depois da queda notei que ele foi o responsável por eu ainda estar vivo e/ou sem lesões maiores.
Sempre pedalei pensando no item "segurança", mas agora faço isso com mais consciência pensando nas consequência que uma simples queda pode causar. Pense nisso ao sair de casa com a bicicleta!

Certa vez, li um artigo no webventure onde mencionava que "não dava para vacilar". "A falta do capacete é um detalhe que pode custar muito caro. Ele certamente poderá salvar sua vida. Não só em competições, mas em qualquer outra atividade com bicicleta, não importa aonde você vá, seja à esquina ou numa volta ao mundo em uma viagem de cicloturismo. "

Pelo Código de Trânsito Brasileiro, o capacete não é um equipamento obrigatório. No artigo 105 do Código, ele nem é mencionado. Só diz que é obrigatório para as bicicletas a campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais e espelho retrovisor do lado esquerdo. Mas o item é, sim, recomendado.

Em países desenvolvidos, e com leis mais rígidas no que diz respeito a mobilidade urbana, o uso do capacete por parte da população é quase zero. Mas isso se dá tanto pelo fato de não ser permitido veículos em alta velocidade dentro da cidade, como também a projetos bem estruturados focado na mobilidade urbana. Não há buracos e problemas nas vias como a que causou o meu acidente.

Outro fator que vem mudado esse quadro até mesmo no Brasil é o número de ciclistas que vem lutando por espaço nas vias.
O diretor da ONG CicloBR acha que não se deve dificultar o uso da bicicleta nas cidades para não desestimular novos ciclistas.

“É comprovado que, quanto maior o número de bicicletas nas ruas, mais seguro é para os ciclistas. Você vê, por exemplo, em São Paulo, você teve uma redução de mais de 20% no número de acidentes fatais. A única coisa que a gente vê, que é sensível, é que aumentou o número de ciclistas e, consequentemente, o motorista hoje está mais acostumado e fez esse número cair”, diz André Paschoalini, diretor de relações públicas da CicloBR. (via G1)

Uma cidade bem estruturada, leis que contribuem com a humanização das vias, fiscalização e campanhas educativas contribuem para o respeito entre os modais.

Infelizmente essa "ainda" não é a cara da cidade de Manaus, por tanto, o capacete tem se mostrado um item obrigatório para aqueles que falam de bicicleta e segurança. Seja você um atleta profissional que pedala na estrada em alta velocidade, ou um mero usuário da bicicleta como meio de transporte.

Porém, a pergunta que não quer calar:

Você que usa este equipamento com frequência, está utilizando da maneira correta?
A seguir, veja dicas básicas para comprar ou ajustar o seu capacete:

● Acerte a regulagem: as fitas não podem ficar frouxas, elas devem ficar reguladas para que o capacete não se mova na cabeça.

● A parte frontal deve proteger a testa e não ficar levantada. O ideal é regulá-lo a, no máximo, dois dedos acima de suas sobrancelhas.



Outra dica legal para quem for comprar um capacete é saber qual é o modelo ideal para a sua necessidade. A seguir, 3 modelos e suas características para vocês analisarem :

● Capacete para Mountain Bike (MTB):

- Modelo mais compacto e robusto.
- Muita ventilação.
- Conforto.
- Estilo.

● Capacete para Speed / Bicicleta Road:

- Leve aerodinâmica
- Mais entradas de ares para maior ventilação
- Leveza
- Praticidade no ajuste

 ● Capacete Contra-Relógio :

- Indicado para provas de triathlon de endurance como meio ironman e ironman ou provas contra-relógio de ciclismo.
- O diferencial é a aerodinâmica destes modelos.

Os novos modelos já contam com entradas de ar para auxiliar a ventilação.

Escolha um capacete que melhor se adapta as suas necessidades e faça bom uso dele para sua segurança e da maneira correta.


Infelizmente, não fui o único a ir ao chão com a bike simplesmente por perder o equilíbrio ou apoiar o pé em falso na hora de parar. Felizmente todos nós estávamos de capacete. Bobeira? Lezeira? Mas acontece! Acidentes acontecem de todas as maneiras e geralmente quando menos esperamos.

Faça como vários pedaleiros que nos contaram que trabalham a vários quilômetros da casa e trocaram o carro e/ou o transporte público pela bicicleta. Disseram que economizam tempo, dinheiro e perderam alguns quilos, melhoraram a saúde e outros benefícios. Eles estão sempre de capacete.

https://instagram.com/p/yNQG0ELpQ0/?taken-by=burapedalar https://instagram.com/p/yNBlgOLpUb/?taken-by=burapedalar https://instagram.com/p/yM0-e2Lpe9/?taken-by=burapedalar https://instagram.com/p/yL3heVrpZ3/?taken-by=burapedalar https://instagram.com/p/yLu_boLpf_/?taken-by=burapedalar https://instagram.com/burapedalar/

Bura Pedalar com segurança!
Porque pedalar faz bem.


Categoria

  • (1)
  • (10)
  • (15)
  • (3)
  • (1)
  • (10)
  • (4)
  • (2)
  • (4)
  • (3)
  • (2)
  • (1)
  • (2)
  • (7)
  • (10)
  • (10)
  • (1)
  • (2)
  • (5)