Pedala Manaus

Manaus é a última no ranking das capitais estruturadas para receber as magrelas (aliás, nem devia estar no ranking).
Porém, no caminho contrário a esta estatística, Manaus cresce em números de ciclistas por metro quadrado, a cada dia.

Se você faz parte desta estatística, temos o prazer de lhe dar boas notícias:
"Manaus acaba de ganhar mais um espaço para aqueles que não dispensam qualidade e bom atendimento de suas magrelas"

Bicicletaria.BR é o mais novo SPA e UTI das bicicletas.


Sob o comando de Bruno Ricardo, pedaleiro ativo e bastante conhecido na cidade, a "BBR" (a abreviatura é por nossa conta) chegou para somar opções em serviços junto a atenção e cuidado especializado já conhecido de Bruno.

O próprio Bruno nos esclareceu "alguns" dos serviços fornecidos:
Revisãolavagemreparosalinhamentomontagematualizações...

E, como se já não bastasse os bons serviços, você ainda pode solicitar a retirada e entrega de sua bicicleta em casa, pela Bicicletaria.BR (o custo é baixíssimo).

Pensando em dar um trato na bike? Vai ou voltou da trilha? Passeio com a família? Passa lá na Bicicletaria.BR ou ligue para o Bruno.



Av. Desembargador João Machado, 233, sala 1.
Fone: (92) 98269.8146

Se, desejar, clique no Maps ou link a seguir e vá pelo GPS até lá.


https://goo.gl/maps/JtR8GHUeHoR2

Outra alternativa para encontrar a Oficina do Bruno é pegar a Av. Desembargador João Machado (sentido de quem vem da Rodoviária) e ir até o final dela. Você vai passar por uma pequena rotatória (é logo depois dela, a direita da Avenida).


A Oficina mal abriu as portas e já planeja inaugurar em breve um "bike shop" para atender clientes (futuramente). Aguardamos novos lançamentos por aí.

"Manaus precisa de investidores como esses na região. Necessitamos de mais pontos como esses para receber os ciclistas e suas companheiras."

Certamente esse é o pensamento da comunidade "pedalante". E a aprovação do público ficou evidente na inauguração da nova loja em Manaus. (Tanto por parte dos amigos quanto dos clientes que já chegavam, rsrsrs...)

Veja algumas cenas do local:









Quando passarem por lá, compartilhe com a gente o que acharam!
Sucesso ao novo empreendimento!

Cicloabraços!


Nos dias 27 a 30 de agosto, a cidade de Manaus, no Amazonas, receberá o 4o FÓRUM DE BICICLETAS MANAUS, realizado pelo Pedala Manaus.
Independente da maneira como você se locomove pela cidade (bicicleta, carro, ônibus, moto, a pé) sua presença será muito importante! SIM! VOCÊ que está lendo este artigo.

Aí, talvez, você se pergunte:
- Mas onde eu me encaixo nesta história de Fórum?

Muito simples:
São poucos os cidadãos que passam a vida em casa. Todos nós precisamos ir trabalhar, fazer compras, visitar parentes, nos sociabilizar por aí. E, para tudo isso e algo mais, precisamos de um meio de transporte. Alguns vão a pé, outros de carro, milhares vão de ônibus e, agora, fica cada vez mais evidente que muitos optaram por usar a bicicleta como meio de transporte.



Se você é um dos adeptos a bicicleta, este Fórum muito lhe interessa. Mas se você não usa a bike, também tem muito a contribuir - ACREDITE! Pois para percorrer a cidade você utiliza algum meio de transporte e é aí que nos encontramos (pedestre, carro, bicicleta, ônibus, moto, skate, patins...) todos tentando dividir um mesmo espaço nas ruas da cidade. Todos queremos chegar a algum lugar.

Mas a verdade é que poucos conhecem "realmente" seus direitos e deveres.
Atrapalham o ir e vir de outros e, muitas vezes por descuido, acabam causando aborrecimentos para alguns ou até mesmo tristeza e a morte!

Independente se você possui muito conhecimento na área ou não, pense:
"O que facilitaria o seu ir e vir sem prejudicar o ir e vir dos outros?"
"Pense em como as bicicletas, pedestres e motoristas poderiam conviver juntos."
"Que mudanças na cidade contribuiriam com a qualidade de vida das pessoas?"



Mas, o 4o Fórum de Bicicletas Manaus irá falar só de bicicleta? NÃO!
A proposta do Fórum é pensar mais... pensar além... pensar melhor... o melhor pra cidade, meio ambiente e pra todos!

Acreditamos que a bicicleta é muito mais do que um meio de transporte, lazer ou esporte. É um meio de transformação de cidades... cidades para pessoas.

Pensando nisso, o objetivo do Fórum é criar um espaço de discussão e de reflexão sobre a forma como pensamos o trânsito e planejamos nossas cidades. Realizará importantes debates com profissionais e especialistas nacionais de diversas áreas. Desde setores como urbanismo, transporte e turismo, até setores da educação e saúde.
Além disso, o Fórum lhe traz a oportunidade de participar de diversas atividades como oficinas, painéis, passeios ciclísticos, dentre outras atividades durante os 4 dias deste caloroso evento.

Convidamos você a descobrir "novos rumos da bicicleta no cenário urbano".
Informe ao vizinho sobre este evento, discutam o assunto na vizinhança. Tragam suas ideias em agosto!

Mas "e se" você não tiver ideias?
- Vá assim mesmo ao Fórum! Vamos juntos ouvir e aprender como estimular melhorias na qualidade de vida das pessoas em nosso bairro ou comunidade. Vamos aprender a estimular o comércio de maneira sustentável! Vamos juntos discutir maneiras de estimular o respeito, seja de carro, ônibus, bicicleta, skate, patins... a pé.

PROGRAME-SE, O EVENTO É TOTALMENTE GRATUITO e toda a população é convidada a participar das atividades do Fórum.
De 27 a 30 de agosto de 2015, venha! Independente se você tem bicicleta ou não.

Quanto mais pessoas pensando, discutindo e encontrando soluções para transformar a mobilidade, melhor!

Em breve, mais informações através do blog, redes sociais e o próprio canal oficial do evento: www.pedalamanaus.org .

Bura lá?


http://burapedalar.blogspot.com.br/2013/02/pedalar-em-familia-faz-bem.html http://burapedalar.blogspot.com.br/2013/12/papo-bicicleta-dicas-e-sugestoes.html


Por Cléo Alves,
Brasileiro, natural de São Paulo.
Trabalha com eventos e é amante do Ciclismo.
Idealizador do projeto Além do Pedal.
Sócio, parceiro, irmão - Ricardo Médici.

Eu sempre pensei em mudar o mundo, desde pequeno  pensei  em 300 formas de fazer isso e infelizmente não achei a solução, com o tempo vi que só me tornando uma pessoa cada vez melhor eu conseguiria ajudar alguém.

Hoje estou com o projeto Além do Pedal e com ele espero ajudar todos os ciclistas, espero fazer  esse  esporte  ser o  mais bem visto por todos e mais respeitado.

O Projeto consiste em unir todos os grupos de pedais do país em um só lugar fazendo com que fique muito mais fácil o acesso aos mesmos, principalmente para os ciclistas iniciantes.
Fora isso vou cadastrar todas as pessoas interessadas em ajudar a fazer um pedal pelo país, essas pessoas irão ajudar em suas cidades de origem, mostrando o que tem de melhor em cada pedacinho desse país.



Estou fechando parcerias em todo o país com intuito de ajudar todos os ciclistas. Claro que para que isso aconteça eu preciso ter muito mais pessoas na pagina Além do Pedal. (clique aqui e curta)
Aqui na capital de São Paulo e interior  já tenho alguns parceiros como nutricionistas, personal trainers, fisioterapeutas e estou negociando parceria com academias. Todos eles irão conceder descontos em seus serviços. Também  estou em negociação com parcerias em Recife/PE.
Todas essas parcerias irão facilitar o tratamento e o treinamento de nós ciclistas.



Muitos pedalam somente para ir ao trabalho ou para passear no final de semana e mesmo esses, se sentirem alguma dor, incomodo ao pedalar ou precisarem perder um pouco de peso vão se beneficiar com essas parcerias, e claro que temos também as pessoas que treinam para participar de competições  onde poderão melhorar e muito o seu rendimento com a ajuda desses profissionais.
Espero ver esse projeto com mais de 100 mil pessoas e quero poder ajudar a todos, quem sabe com essa ajuda não conseguiremos  ter os próximos campeões mundiais de Mtb ou de Speed, tudo é possível com força de vontade e a ajuda correta.



Esse é o resumo do Projeto Além do Pedal espero que tenham gostado da ideia e espero ver todos curtindo a pagina e compartilhando. Se ficou alguma duvida é só me procurar na pagina Além do Pedal.

Muito obrigado equipe do Bura Pedalar pela grande oportunidade.


O Mês de maio estava só começando, mas já trazia boas experiências aos olhares mais atentos.
Haviam vários voluntários posicionados estrategicamente numa avenida de grande circulação, na Zona Leste de Manaus (ZL).

Muitos dos comerciantes, e outros cidadão que por ali passavam, perguntavam-se:
"Mas o que esse pessoal está fazendo aqui? Por que esses olhares atentos na rua, fazendo anotações em suas pranchetas e tirando fotos?"

Algumas voluntárias responderam:
"Estamos contando ciclistas!"

"Mas ciclistas, por aqui?" Indagavam alguns.

E, de repente, para o espanto dos curiosos, eis que surge um ciclista... depois dois... três, quatro, cem... 604 ciclistas!

"Puxa! Nunca passa ciclista por aqui! Foi só vocês aparecerem" - afirmou uma comerciante, rsrs


A realidade em Manaus é esta. Ciclistas invisíveis circulam [a todo momento] pelas grandes avenidas da cidade, longe da atenção não somente somente do poder público mas, muitas vezes, da própria sociedade. O argumento da comerciante citada "era" o mesmo argumento que eu mesmo tinha anos atrás [antes de usar a bicicleta como meio de transporte].

Eu me perguntava:
"Como será que conseguirei pedalar sozinho pela cidade?"
"Como será minha pedalada [solitária] até o trabalho?"

Para meu espanto, assim que cheguei a avenida principal já me deparei com vários ciclistas com suas mochilas, bolsas e alforjes a caminho de seus respectivos locais de trabalho. Notei que eu não estava sozinho... só não havia parado para observar que aquele era "apenas" mais um meio de transporte silencioso [ e desestressante ] muito usado em Manaus.


Nesta primeira semana de Maio, onde vários voluntários foram fazer a contagem de ciclistas, resolvi fazer o percurso de bike.

Era a 3a vez que eu trafegava de bicicleta na ZL. Minha atenção e preocupação foi redobrada [pois a primeira e a segunda experiência que tive lá não foi muito boa].
Mas esta agora foi diferente. Com meu trajeto na cabeça, fui me comunicando com o trânsito até chegar ao meu destino e, para minha surpresa, não faltou companhias de bicicleta.

Era evidente que muitos preferiam pegar outras ruas por dentro dos bairros, mas outros encaravam a Avenida Autaz Mirim para ir ao seu destino, assim como eu.


Ao chegar ao ponto em que contaríamos os ciclistas, notei algo animador:
Os usuários de bicicleta eram mais do que [ciclistas]... eram pais de família levando e trazendo seus filhos da escola. Pessoas indo ao trabalho. Mulheres fazendo compras. Jovens voltando da escola... eram pessoas que tinham por objetivo chegar a algum lugar sem muito esforço e custo.

Alguns iam muito além do que 1km ou 3km.
O Daniel [foto] usa a bicicleta como meio de transporte e não acha cansativo fazer o percurso da ZL para o São Raimundo de bicicleta (bem acima dos 10km de distancia).

Quando perguntei porque fazia isso, ele foi curto e grosso: "é barato, é prático, e me deixa feliz!" Toda a sua família tem bicicleta.

Perguntei a ele como encarava essa selva que é a ZL. Ele fez um discurso e depois resumiu em 3 palavras: paciência, autodomínio e amor.

- Paciência pra lidar com os motoristas estressados!
- Autodomínio pra não trocar palavras com a ignorância dos motoristas que me xingam e reclamam do trânsito.
- E amor! Pois só quero voltar pra casa, junto de minha família.



Logo cruza por nós mais um ciclista e tive que me despedir do Daniel para continuar meu trabalho.

Ficou aquele sentimento... uma ponta de esperança!
Eu não tinha coragem de pedalar na ZL. Mas muita gente tem! [E precisa!] E é por elas e suas ações que as mudanças ocorrem.


"Construa que eles virão!"

Parabéns ao Pedala Manaus pela iniciativa de realizar projetos que só tem a contribuir com uma cidade mais humana e mais ciclável.

Mobilidade para todos! É justo! Independente se você os vê ou não.

Acredite, eles existem. E nós estamos de olho!



Cicloabraços.

Sou ciclista urbano. Uso a bicicleta como meio de transporte.
Saí de casa com destino ao centro da cidade - mais ou menos 14km. O percurso era tranquilo - já o faço por mais de 4 anos.
Em um certo trecho da viagem, dei sinal com a mão de que faria uma ultrapassagem e logo pego a via da esquerda. Segundos depois, perco o equilíbrio da bicicleta numa elevação (defeito) na pista e, numa fração de segundos, vou ao chão.

Após a queda, meio tonto, levanto e vejo que havia me ferido em várias regiões do corpo. Um minuto depois um bike anjo passa pelo local e, ao me ver, pede para que eu tire o capacete - eu havia batido com a cabeça e não havia notado. Fui levado ao Hospital e rapidamente recebi cuidados médicos.

Após toda a correria, voltando pra casa, o corpo já estava esfriando e os medicamentos já estava passando o efeito. Comecei a notar que o acidente poderia ter sido bem pior se eu não estivesse de capacete.

Você usa capacete? Sempre achei que o capacete era um item "chato" mas necessário. Depois da queda notei que ele foi o responsável por eu ainda estar vivo e/ou sem lesões maiores.
Sempre pedalei pensando no item "segurança", mas agora faço isso com mais consciência pensando nas consequência que uma simples queda pode causar. Pense nisso ao sair de casa com a bicicleta!

Certa vez, li um artigo no webventure onde mencionava que "não dava para vacilar". "A falta do capacete é um detalhe que pode custar muito caro. Ele certamente poderá salvar sua vida. Não só em competições, mas em qualquer outra atividade com bicicleta, não importa aonde você vá, seja à esquina ou numa volta ao mundo em uma viagem de cicloturismo. "

Pelo Código de Trânsito Brasileiro, o capacete não é um equipamento obrigatório. No artigo 105 do Código, ele nem é mencionado. Só diz que é obrigatório para as bicicletas a campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais e espelho retrovisor do lado esquerdo. Mas o item é, sim, recomendado.

Em países desenvolvidos, e com leis mais rígidas no que diz respeito a mobilidade urbana, o uso do capacete por parte da população é quase zero. Mas isso se dá tanto pelo fato de não ser permitido veículos em alta velocidade dentro da cidade, como também a projetos bem estruturados focado na mobilidade urbana. Não há buracos e problemas nas vias como a que causou o meu acidente.

Outro fator que vem mudado esse quadro até mesmo no Brasil é o número de ciclistas que vem lutando por espaço nas vias.
O diretor da ONG CicloBR acha que não se deve dificultar o uso da bicicleta nas cidades para não desestimular novos ciclistas.

“É comprovado que, quanto maior o número de bicicletas nas ruas, mais seguro é para os ciclistas. Você vê, por exemplo, em São Paulo, você teve uma redução de mais de 20% no número de acidentes fatais. A única coisa que a gente vê, que é sensível, é que aumentou o número de ciclistas e, consequentemente, o motorista hoje está mais acostumado e fez esse número cair”, diz André Paschoalini, diretor de relações públicas da CicloBR. (via G1)

Uma cidade bem estruturada, leis que contribuem com a humanização das vias, fiscalização e campanhas educativas contribuem para o respeito entre os modais.

Infelizmente essa "ainda" não é a cara da cidade de Manaus, por tanto, o capacete tem se mostrado um item obrigatório para aqueles que falam de bicicleta e segurança. Seja você um atleta profissional que pedala na estrada em alta velocidade, ou um mero usuário da bicicleta como meio de transporte.

Porém, a pergunta que não quer calar:

Você que usa este equipamento com frequência, está utilizando da maneira correta?
A seguir, veja dicas básicas para comprar ou ajustar o seu capacete:

● Acerte a regulagem: as fitas não podem ficar frouxas, elas devem ficar reguladas para que o capacete não se mova na cabeça.

● A parte frontal deve proteger a testa e não ficar levantada. O ideal é regulá-lo a, no máximo, dois dedos acima de suas sobrancelhas.



Outra dica legal para quem for comprar um capacete é saber qual é o modelo ideal para a sua necessidade. A seguir, 3 modelos e suas características para vocês analisarem :

● Capacete para Mountain Bike (MTB):

- Modelo mais compacto e robusto.
- Muita ventilação.
- Conforto.
- Estilo.

● Capacete para Speed / Bicicleta Road:

- Leve aerodinâmica
- Mais entradas de ares para maior ventilação
- Leveza
- Praticidade no ajuste

 ● Capacete Contra-Relógio :

- Indicado para provas de triathlon de endurance como meio ironman e ironman ou provas contra-relógio de ciclismo.
- O diferencial é a aerodinâmica destes modelos.

Os novos modelos já contam com entradas de ar para auxiliar a ventilação.

Escolha um capacete que melhor se adapta as suas necessidades e faça bom uso dele para sua segurança e da maneira correta.


Infelizmente, não fui o único a ir ao chão com a bike simplesmente por perder o equilíbrio ou apoiar o pé em falso na hora de parar. Felizmente todos nós estávamos de capacete. Bobeira? Lezeira? Mas acontece! Acidentes acontecem de todas as maneiras e geralmente quando menos esperamos.

Faça como vários pedaleiros que nos contaram que trabalham a vários quilômetros da casa e trocaram o carro e/ou o transporte público pela bicicleta. Disseram que economizam tempo, dinheiro e perderam alguns quilos, melhoraram a saúde e outros benefícios. Eles estão sempre de capacete.

https://instagram.com/p/yNQG0ELpQ0/?taken-by=burapedalar https://instagram.com/p/yNBlgOLpUb/?taken-by=burapedalar https://instagram.com/p/yM0-e2Lpe9/?taken-by=burapedalar https://instagram.com/p/yL3heVrpZ3/?taken-by=burapedalar https://instagram.com/p/yLu_boLpf_/?taken-by=burapedalar https://instagram.com/burapedalar/

Bura Pedalar com segurança!
Porque pedalar faz bem.



- PAZ !


Antes de redigir este breve texto, pensei em descrever o pedal feminino em uma palavra.
Dentre várias, a "Paz" foi a que melhor se encaixou ( pra mim ).

Era domingo. O sol das 17h convidava para um pedal da tarde.
As Amazonas de Bike, grupo de mulheres que pedalam em Manaus, aproveitaram para dar uma volta pela cidade no melhor estilo . . . de bike !

O vídeo não descreve toda a vivência de pedalar com as Amazonas, mas você poderá sentir um gostinho do que é acompanhar, da forma mais natural possível, a já famosa domingueira do pedal feminino.

Em breve, descreverei a vocês o que é pedalar com as Amazonas. Mas, enquanto isso, assista o vídeo a seguir e acompanhe as Amazonas neste pedal comentado por elas mesmas.

Se você for "MULHER", tem uma bicicleta, mora em Manaus ou vai dar uma passadinha em solo Baré, não hesite em procura-las. Elas sempre são encontradas acompanhando os pedais semanais do Pedala Manaus (para mais informações, click aqui ).



Boas pedaladas !


Há pouco tempo abrimos uma conta no Instagram. (clique aqui para ver)

Ao desfrutar de belas imagens e histórias de pessoas que utilizam a bicicleta como meio de transporte, lazer e esporte surgiu a ideia :
"Porque não compartilha-las também?"

Com este post, abrimos o espaço do blog para que aqueles que usam a bicicleta possam contar um pouco de suas experiências e aventuras. Se quiser contribuir também, poderá nos enviar sua aventura através do formulário ao final deste post.



Walber Friths ( @wfriths ) conta pra nós um pouco da sensação de abrir novas trilhas em Belém.




Local: Santa Bárbara do Pará - Pará (localizada à 39 km de Belém - Capital)

A pouco mais de 3 semanas atrás decidimos entre amigos, que iríamos desbravar uma trilha nova. Sabíamos o rumo, porém não sabíamos o que iríamos encontrar pela frente, seja riscos, obstáculos e as delícias da natureza.

A medida que fomos adentrando a mata fechada, fomos encontrando as mais variadas formas da natureza, dentre elas: Single tracks sensacionais; muita lama, caminhos ainda não percorridos seja por, bike, a pé ou posso dizer que até mesmo ninguém tenha passado ali antes; lindos lagos naturais e alguns trechos onde sentimos bastante a pedalada pois o terreno não era de areia fofa, muito menos de lamaçal, porém segurava bastante a bicicleta fazendo com que assim, tivéssemos que aumentar a cadencia e a força na pedalada.
Para que pudéssemos concluir todo o mapeamento dessa trilha, tivemos que dividi-la em dois trechos, sendo eles percorridos em dois finais de semana seguidos.
No primeiro trecho foram 40 km e no segundo foram 57 km, porém, no segundo dia de mapeamento fizemos algumas alterações no primeiro trecho mapeado, tirando os trechos que envolvia passar por rodovias e decidimos que seria tudo por dentro do mato literalmente. O resultado foi uma trilha em torno de 60 km de percurso médio, totalmente dentro da mata e com um nível técnico muito bom.



















Logo em breve faremos o lançamento oficial deste grande evento que com certeza irá surpreender a todos. Não tenho uma data definida.



















Seria um grande prazer receber atletas de outros estados e cidades para participar dessa trilha que será sensacional!






Envie-nos sua experiência com a bicicleta também!
Seu passeio, sua trilha, ciclo turismo, de bike ao trabalho, a primeira pedalada, como foi?
Conte sua história através do espaço a baixo:


A Semana da Mobilidade tem agitado a cidade - a vista dos mais atentos. E no dia 25 de setembro, Manaus aceitou o desafio de realizar o V Desafio Intermodal !
Desafiantes não faltaram. Pedestres, skates, patins, carro, moto, ônibus, táxi, e as nossas já famosas bicicletas estavam presentes.
Este ano, Manaus recebeu desafiantes novos. Foi o caso da bicicleta elétrica que parece ter vindo pra ficar.

O Bura Pedalar [BP] esteve presente a ocasião ( de bike, claro! ) e pôde acompanhar o percurso de alguns dos participantes.



O DESAFIO não é uma competição, pois o que se analisa não é simplesmente quem chega primeiro. Antes, durante e depois do percurso é analisado em relatório o custo-benefício de cada modal (quanto tempo levou, as despesas, emissão de poluição, entre outras características).
O desafio prioriza a mobilidade sustentável, aquela onde você utiliza um meio de transporte bom, saudável e que, em mais alto nível, beneficia as pessoas e o meio ambiente.

Todos os desafiantes iniciaram o percurso a pé, partindo da UFAM, e seguiram viagem nos seus respectivos meios de transporte.

Diferente do ano passado, o desafio desta vez quase não possuía áreas planas (haja ladeira aos participantes!). Isso deve ter influenciado em muito as decisões de percurso para cada desafiante - o trajeto era de escolha pessoal, apenas a origem/destino e o respeito as leis de trânsito eram regras claras a serem seguidas.

Acompanhamos alguns que optaram por um trajeto mais seguro, por dentro dos bairros, longe da vista dos grandes veículos.
Ao passo que os desafiantes iam tomando distancia uns dos outros, era nítido o contraste de respeito entre os modais. Enquanto a bicicleta recebia uma "certa medida" de atenção dos motoristas, acontecia o contrário com os skatistas e o patinador (que também dependem da rua para se locomover mais facilmente). Os menores eram cada vez mais ignorados pelos veículos. Em determinados trechos, os skatistas precisaram descer de seu meio de transporte e caminhar na calçada. Afirmaram que em alguns momentos se sentiram inseguros pois alguns veículos grandes (como ônibus) tiravam algumas "finas" deles - ignorando o direito deles de compartilharem a via.


No meu caso (que estava de bike), notei uma atenção maior dos veículos maiores. Destaco aqui algumas observações que contribuíram com minha segurança ao percorrer o mesmo trajeto:

- SINALIZEI, com gestos e sons, minhas intenções durante todo o percurso. Dessa forma, quem estivesse no trânsito saberia para onde eu iria seguir ou dobrar, dando a eles tempo e espaço para reagirem e se distanciarem de mim. 

- Usei APITO em certos trechos. Ao ultrapassar veículos (em movimento ou parados) procurei apitar informando assim a minha presença (muitos deixavam evidente seu olhar de surpresa ao me avistarem - não haviam notado minha presença antes). Em cruzamentos, mesmo a preferência sendo minha, a campainha (ou apito) auxiliaram no respeito e atenção dada pelos veículos maiores. A maioria parou e respeitou o direito que a lei concede.

- Usei SINALIZADORES LUMINOSOS e outros ACESSÓRIOS de segurança. Chamar atenção no trânsito é importante, principalmente para os meios de transporte mais frágeis.

- Todos utilizaram CAPACETE (por segurança)


Após percorrerem uma média de 7km todos eram aguardados no UAI Shopping São José.
Para surpresa de muitos, eis que o primeiro desafiante a surgir foi Jorge Aguirre em sua bicicleta elétrica. Visivelmente contente e surpreso com o resultado, Jorge mencionou que, apesar da bicicleta ser elétrica, precisou também aplicar uma força nos pedais em certos trechos. Mas, nas ladeiras, era só aproveitar o embalo.


Segundo o ciclista elétrico, ele achava que a bicicleta (não motorizada) ganharia em primeiro. Para ele, o resultado saiu diferente do esperado "devido a escolha de percurso feita pelos outros participantes", a escolha feita por ele mostrou ser a mais eficiente. O [BP] também notou que alguns enfrentaram dificuldades no percurso até mesmo dentro dos bairros - onde deveria ser até mais fácil trafegar.


Enfim, independente da colocação dos modais, o desafio rendeu um bom relatório.
E o melhor de tudo, ficou claro que a cidade possui diversos meios de transporte eficientes - fazendo escolhas corretas para cada dia e percurso.
Se você deseja ir ao trabalho e, ao mesmo tempo, contribuir com o meio ambiente sem chegar derretendo devido o clima, que tal experimentar uma bicicleta elétrica?
Como mencionado por Claudia de Oliveira, a bike elétrica lhe permite experimentar o mesmo vento no rosto e a sensação de liberdade das outras bicicletas!

Se vai na padaria, próximo de casa, experimente o hábito saudável de ir a pé, de skate ou patinando.

Se pretende ir mais longe, use ônibus, táxi e moto de vez em quando.

Na hora do Rush, muita gente vai de bicicleta! Na ultima semana, [BP] foi verificar como algumas pessoas tem utilizado a bicicleta em algumas das principais ruas de Manaus. Começamos 17h na Recife e, em 5 minutos, já havia sido registrado 8 ciclistas. Seguimos para a Av. Boulevard Álvaro Maia e, das 17h10m até as 17h20m já havia mais de 12 ciclistas registrados. [foto] As horas seguintes foi só alegria !!!


[BP] ousa dizer que o V DESAFIO INTERMODAL foi um sucesso ! Estamos ansiosos para observar as surpresas que o próximo ano nos reserva e, quem sabe, desfrutar de melhorias que beneficie cada modal e, como sonhar não custa caro, com a nossa preferida ( a magrela ) sendo beneficiada com ciclorrotas, ciclofaixas e ciclovias durante o percurso.


Parabéns a todos os desafiantes e colaboradores.
Parabéns Pedala Manaus por mais essa iniciativa.

Cicloabraços a todos !

- Vou ali... de bike, claro ! Porque pedalar faz bem.

______________________________________
Fotografias de Isaac Ferreira / Mariléia Seixas

Categoria

  • (1)
  • (10)
  • (15)
  • (3)
  • (1)
  • (10)
  • (4)
  • (2)
  • (4)
  • (3)
  • (2)
  • (1)
  • (2)
  • (7)
  • (10)
  • (10)
  • (1)
  • (2)
  • (5)